No aeroporto aqui e lá

> Preparando as malas (com lista básica)
> No aeroporto no Brasil
> No aeroporto nos EUA
> No aeroporto no Brasil, o retorno



PREPARANDO AS MALAS




Orlando é um destino muito descontraído, portanto não se preocupe em levar roupas elegantes.  Ninguém vai notar, acredite!  Todos estarão o mais à vontade possível e nem os restaurantes se importam se você entrar de jeans e mochila, afinal todos estarão assim.

Se a sua viagem está planejada para o verão, leve muitas bermudas, shorts e camisetas leves.  O verão de Orlando é muito parecido com o nosso, portanto espere muito calor!  Leve roupas de tecidos leves e que sequem rápido para aquelas atrações em que você vai se molhar.  Jeans nesta época não são uma boa idéia porque apesar de práticos são difíceis de lavar e secar.

Se você vai viajar na primavera ou no outono adicione à sua mala uma ou duas calças compridas, um jeans e um casaco para a manhã e o final da tarde que pode esfriar um pouco.

Caso a sua viagem esteja esquematizada para o inverno, leve suéters de molleton e um bom casaco já que temperaturas de 5 a 8° C não são tão raras.

Mas o mais importante é, sem sombra de dúvidas, o seu sapato!  Não se esqueça que você estará andando o tempo todo, por vezes mais de 12 horas por dia!  Tênis são a melhor opção e de preferência já “amaciados”. 

Caso você prefira uma sandália no verão, certifique-se que ela seja resistente principalmente à água e ao uso extremo.  Não é permitida a entrada nos parques de pessoas sem camisa ou descalças.

Atenção! O primeiro problema médico atendido nos ambulatórios e hospitais de Orlando é queimadura solar, portanto não se esqueça do protetor solar principalmente para as crianças e no verão.

As compras nos EUA são irresistíveis para nós brasileiros e levar pouca roupa ainda é um bom conselho.  Leve sua mala o mais vazia possível, ou se você se considerar um shopaholic (viciado em compras), leve uma mala sobressalente dentro da sua outra mala, para que na volta você possa trazer todas as suas compras.

O Brasil é o único país do mundo em que o limite de peso para bagagens despachadas é de 32kg por mala!  Para todos os outros países do mundo o limite é 23kg.  Aproveite portanto esta vantagem, mas não se esqueça que eles já estão sendo “bonzinhos” e portanto não toleram que este limite seja ultrapassado.  Malas acima de 32kg pagam entre U$25, e 150, para embarcar (dependendo da companhia aérea e do trecho voado).  As malas também têm um limite de tamanho, 158cm,  somando-se comprimento, largura e espessura. Acima deste tamanho a multa pode chegar a U$ 150, por mala! O limite são 2 malas despachadas nestes padrões por passageiro (exceção na Primeira Classe e Executiva). A bordo é possível levar uma mala de mão com dimensões não superiores a 114cm e 18kg mais a sua bolsa ou pequena mochila.  Não adianta tentar “dar uma de esperto” porque atualmente, com os vôos lotados este limite de mão está sendo levado muito a sério e se você tiver mais que uma bagagem de mão ela será despachada no portão de embarque.

A mala de mão é importante também na ida.  Antes de mais nada qualquer aparelho fotográfico ou de filmagem não deve nunca ser acomodado na sua bagagem a ser despachada já que existem chances de se perder ou quebrar!  Além disto, por uma questão de prevenção é aconselhável levar uma muda de roupa extra para cada membro da família na bagagem de mão caso as malas não cheguem com você ao seu destino.  Raramente elas se perdem de vez, mas você ficará sem elas por pelo menos algumas horas.  Pelos mesmos motivos, também na bagagem de mão devem ser acomodados seus remédios.  Acho que não é necessário dizer também que nenhuma identificação pessoal:  passaporte, identidade, carteira de motorista, etc...ou cartões de crédito deve ser colocada nas malas a serem despachadas.

É importante notar também que deste o 11 de setembro existem restrições para o que se pode carregar na bagagem de mão.  O principal transtorno foi o fato de terem sido banidos os líquidos, isso significa, nada de shampoos, desodorantes, hidratantes, pastas de dentes, soro etc...na mala de mão.  Caso seja essencial, deve estar num potinho de no máximo 100ml e dentro de um ziploc a ser apresentado na segurança separado da sua bagagem para inspeção manual.  Remédios acompanhados de receita médica são permitidos mesmo que líquidos, mas também no ziploc.  Tesouras só de ponta redonda e menores que 10 cm.  Objetos cortantes só na bagagem despachada.  Fósforos só os de segurança e só uma caixinha.  Para informações mais atualizadas acesse o site da sua companhia aérea para não ter problemas ao embarcar ou então o site da TSA, o órgão responsável pela Segurança em Viagens dos EUA:   

E por fim, não esqueça de identificar suas malas e marcá-las para não confundir-se na esteira dos aeroportos. Faça etiquetas com seu nome completo, endereço, telefone além de um itinerário resumido com telefones dos hotéis e fixe no exterior e no interior das suas malas. É interessante colocar mais de uma destas etiquetas no exterior da sua bagagem devido à grande manipulação da bagagem nos aeroportos e nem sempre delicadamente o que faz com que até o melhor dos identificadores de mala se rasque, quebre ou perca. É muito comum um grande número de malas iguais nas esteiras dos aeroportos, dificultando assim a identificação das suas e pior, fazendo com que outras pessoas levem as suas malas tomando-as pelas suas próprias. Para evitar esta chateação coloque algo incomum nas suas malas, como uma fita de cor berrante e você será capaz de identificar suas malas a milhas de distância!

Então, em resumo, aí vai uma LISTA com o mínimo necessário, mas sinta-se a vontade para completar com o seu "toque":

BAGAGEM DE MÃO/BOLSA:


1. Documentos: Identidade; Carteira de motorista; Passaporte e cópia autenticada em bolsas diferentes (a cópia autenticada é a única maneira de conseguir novo passaporte no consulado brasileiro de Miami em caso de perda, roubo ou extravio do seu);

2. Cartões de crédito/ débito ou tipo Money Travel (cartão "carregado" do Brasil com um valor determinado por você) - Atenção! Anote o número de seus cartões em suas anotações de viagem já que em caso de perda, roubo ou extravio a primeira pergunta da administradora do cartão é: "Qual o número do cartão?";

3. Passagens aéreas;

4. Vouchers das reservas de hotéis, carros, restaurantes, shows, ingressos, etc..;

5. Seguro de viagem: Muitas pessoas acreditam ser desnecessário fazer seguro de viagem, mas lembre-se que um único atendimento ambulatorial nos EUA custa geralmente mais que o próprio seguro! Os EUA não tem sistema de saúde gratuito (tipo SUS) portanto qualquer atendimento é pago e não é barato! Além disso, o seguro cobre perda de bagagem, atraso de vôos, etc... Confira com seu agente de viagem já que existem dezenas de Cias. confiáveis mas um dos melhores seguros atualmente é o Coris/Mic (www.micbrasil.com.br);

6. Dinheiro: Muitas pessoas me perguntam quanto devem levar, e esta é uma pergunta muito pessoal. Depende basicamente do que você pretende comprar e se vai colocar seus gastos nos cartões de crédito ou não, porque embora práticos, os cartões para nós brasileiros trazem um risco a mais que é a variação da cotação do dólar e um abuso a mais que é a cobrança do IOF! Leve em consideração que se você tiver que pagar pelas suas refeições gastará uma média de U$ 50 a U$ 100, por dia na dependência se vai viver de sanduíches e besteirinhas nos parques ou se pretende fazer pelo menos 1 refeição completa diariamente. Além disso some às suas despesas pelo menos mais U$ 14, por dia de estacionamento nos parques. Não se esqueça também de adicionar às suas despesas obrigatórias, a gasolina do carro (U$ 3,50 a 4,20/ galão=3,79 litros), a gorjeta para a arrumadeira do seu quarto e as compras de supermercado para abastecer o seu quarto para aquele lanchinho de final de noite! (aproximadamente U$ 70, por semana para 2 pessoas comprando pão, manteiga, queijo, presunto/peru, leite/achocolatado, biscoito e frutas). Resumindo leve entre U$ 650, a 1.000, para uma semana de estadia para suas despesas básicas obrigatórias. Daí por diante é tudo festa! Ah! Não esqueça de levar uns U$ 2 em moedas para os pedágios e algum dinheiro trocado para o aeroporto;

7. Remédios e suas respectivas receitas principalmente se forem controlados. Caso você tenha alguma condição especial de saúde leve consigo na bagagem de mão tudo o que possa necessitar: medidores de glicose, insulina, aparelhos de pressão,etc...;

8. Óculos de grau;

9. Máquina fotográfica e/ou filmadora;

10. Laptop, ipod, ipad, blackberry, celulares, etc... ;

11. Notas fiscais dos aparelhos acima: Na volta ao Brasil, a alfândega brasileira caso você seja escolhido, somará todas as suas compras no exterior (principalmente eletro-eletrônicos) para ver se você não ultrapassou a cota de U$ 500,/pessoa. Se você não levar as notas fiscais do seu laptop, máquina fotográfica, ipad etc..., o agente alfandegário pode interpretar que você comprou no exterior e somará à sua cota!;

12. 1 muda de roupa;

13. 1 casaco;

14. Suas anotações de viagem.



MALA DESPACHADA
(para 1 semana de viagem)


1. Itens de higiene e beleza: shampoos, creme rinses, desodorantes, sabonetes, protetor solar, hidratante, batom e afins, etc... Ou, deixe pra comprar lá! O único risco? Ficar fã e entupir suas malas de volta com shampoos e hidratantes dos EUA!;

2. O mínimo de roupas para os 7 dias de viagem nunca se esquecendo do clima de Orlando na época em que você vai (Veja a página - Conhecendo Orlando). Leve roupas e acessórios que combinem e possam ser usados entre si. Ou, deixe pra comprar o que faltar por lá!;

3. Roupa de dormir;

4. 2 pares de sapatos: um tênis amaciado ou sandália e uma sapato melhor para ir a um restaurante especial ou show;


5. Não há necessidade de levar secador de cabelo ou ferro de passar já que todos os quartos de hotéis de Orlando fornecem esses itens!

6. Uma mochila ou bolsa prática para andar pelos parques. Não esqueça que ela tem que ser prática, leve e grande o suficiente, mas não enorme, para caber pelo menos seus documentos, dinheiro, cartões, máquina fotográfica, uma garrafinha de água e um casaco leve;

7. E por fim...uma outra mala! De preferência dentro da primeira para facilitar sua vida nos aeroportos. Ou, mais uma vez...deixe para comprar lá!



NO AEROPORTO, NO BRASIL

Existem algumas coisinhas importantes a serem feitas no aeroporto antes de você embarcar para o seu sonho.

Antes de mais nada chegue com 2 a 3 horas de antecedência. Os vôos andam cheios e as filas para o seu check-in na companhia aérea idem. Existe a possibilidade de revista da sua bagagem pela segurança da cia. aérea o que tomará ainda mais tempo. E não se esqueça que a cia. aérea precisa de pelo menos 30/45 minutos de antecedência para que sua mala chegue ao seu avião, caso contrário ela embarcará apenas no próximo vôo para o mesmo destino.

Ao fazer o check-in não esqueça de verificar se suas malas foram etiquetadas para o destino final (Orlando cujo código é MCO), se o atendente lhe entregou os tickets de bagagem e seus cartões de embarque de todas as conexões até Orlando e por fim, o formulário a ser preenchido antes da chegada aos Estados Unidos.

O formulário a que me refiro é o do Customs (Alfândega) e pode ser preenchido só um por família (abaixo).



Algumas perguntas podem parecer bobas,mas acredite, eles levam isso muito a sério.  Isto quer dizer que se você fez a besteira de trazer uma carne assada para as crianças na bagagem, é bom se ver livre dela o mais rapidamente possível,   já que é  terminantemente  proibido entrar no país com comidas, plantas e animais não declarados.  E não minta na declaração porque embora eles raramente chequem as informações, já que partem do princípio que ninguém vai mentir, se eles descobrirem sua mentira, seu ingresso neste país será vedado para sempre não interessando se você teve seu visto aprovado aqui no Brasil. 




NO AEROPORTO, NOS EUA

Parece mentira, mas lá está você, em pleno aeroporto de Orlando ou Miami, Dallas ou Atlanta (as conexões mais comuns para Orlando)  sem saber para onde ir e nem o que fazer!  Neste misto de alegria e perplexidade, você vai tentar lembrar do que os guias ensinaram, mas caso  não se lembre tudo bem! Siga a multidão e curta esse momento!

A primeira coisa que você lembra ao desembarcar é da sua bagagem, mas ela vai ter que esperar porque primeiro você tem que passar pela Imigração dos EUA.  (Caso você tenha esquecido do formulário obrigatório no check-in, peça aos comissários de bordo durante o vôo). 

Siga as setas indicando Immigration (Imigração)até encontrar diversos balcões e suas respectivas e enormes filas!  Cuidado!  Não entre nas filas que indicam US citizens que só são válidas para os americanos.  Nossas filas são as de visitantes, escrito:  Visitors.  Após uma espera que varia entre 15min a até 1 hora dependendo da época do ano e da hora de chegada do seu vôo, você estará sendo atendido por um funcionário da Imigração, que lhe pergunta (em inglês) quantos dias pretende ficar e se está a passeio ou a negócios, depois confere seu visto através de um sensor ultra-violeta, escaneia suas impressões digitais, fotografa e checa no computador por pendências judiciais internacionais (principalmente, terrorismo, sequestro e assassinato). Nos últimos anos eles também têm perguntado onde ficará hospedado e quanto está trazendo em dinheiro. Lembre-se de nunca dizer que tem pouco dinheiro já que isso é para eles um sinal que veio para ficar.  O ideal é dizer que está entrando com pelo menos U$ 2.000, por pessoa. Uma vez feito isso, ele carimbará o seu passaporte e você estará liberado.  Caso necessite de tradutor é só pedir.

Setor de Imigração no aeroporto


Agora sim, você pode procurar suas malas.  Elas estarão numa área chamada Baggage Claim ou simplesmente Bag Claim.  Siga as placas e logo, logo você estará nas esteiras de bagagem. Procure pela esteira que está mostrando o número do seu vôo.  É só pegar suas malas e sair.  Ao sair você passa por funcionários do Customs (Alfândega) que pedem o seu formulário e fazem poucas ou nenhuma pergunta. Caso suas malas não cheguem, procure o estande da sua companhia aérea para fazer a queixa.  Não abandone o aeroporto sem registrar a queixa, caso contrário você não terá direito ao reembolso caso suas malas se percam de vez. 

Se você ainda não está em Orlando, agora é hora de re-despachar as suas malas para o seu destino final – Orlando.  A grande maioria dos aeroportos atualmente facilita isto ao extremo.  Nos 4 aeroportos mencionados, ao sair da Alfândega é só entregar suas malas (que já estão etiquetadas para o seu destino final, lembra?) para um dos funcionários da sua Cia. Aérea que geralmente estão logo na saída da Alfândega.  Agora é só procurar o seu gate (portão) e esperar o vôo de conexão.

Enfim você chegou ao aeroporto de Orlando! Mais uma vez você pensa nas suas malas, mas antes você terá que pegar o monorail para encontrá-las.  Siga as placas de Bag Claim/Shuttle até a plataforma de embarque do monorail interno do aeroporto chamado de Shuttle.  Não se assuste, você não está abandonando suas preciosas malas, pelo contrário, você está indo ao encontro delas! 


Ao desembarcar do monorail você, que já tinha começado a gostar da farra, vai começar a perceber como o aeroporto é grande e muito, muito bonito!  As diversas lojinhas são irresistíveis, principalmente para os que estão ali pela primeira vez.  Lojas da Disney, da Universal, do Sea World e tantas outras que é quase impossível passar direto.  Mas lembre-se que tudo o que você está vendo nesse momento, você verá muitas vezes mais e melhor em pouco tempo.  Se não conseguir se controlar, tudo bem também, suas malas podem esperar mais um pouco...  Pronto para finalmente pensar em sair deste pedacinho do paraíso?  Então siga as placas de Baggage Claim, desça pela escada rolante indicada e procure sua esteira pelo número do vôo.

Já de posse das suas malas, agora é só escolher o seu meio de transporte até seu hotel:  caso seja táxi ou ônibus, basta sair no mesmo andar das esteiras de bagagem mas caso seja carro alugado pegue o elevador e desça mais um andar para os balcões das locadoras. (mais detalhes em Conhecendo Orlando)



NO AEROPORTO DO BRASIL, O RETORNO


Finalmente você está de volta! Você desembarca do seu avião e quando você achava que estava livre de planejamentos...

Logo ao final do seu corredor de desembarque abre-se uma área onde encontra-se a Polícia Federal, a nossa Imigração, e lá estão mais filas. Desta vez nós somos os beneficiados com filas menores enquanto os turistas enfrentam filas maiores. Após uma breve olhada no seu passaporte o agente gentilmente lhe dá as boas vindas e você pode seguir em direção ao carrossel das malas.

A espera pelas malas nos nossos aeroportos costuma ser maior que nos EUA e às vezes dá até tempo de dar um pulinho no Free Shop. Se você quiser fazer compras maiores ou gostaria de curtir esta sua última experiência de compras, deixe para visitar o Free Shop depois que estiver de posse das suas malas. E não se preocupe com suas malas, o Free Shop tem funcionários devidamente identificados que ficam com elas enquanto você faz suas derradeiras comprinhas!

No Free Shop existe uma variedade limitada de produtos como bebidas, alguns alimentos (especialmente balas, chocolates, doces, etc), cigarros, alguns eletro-eletrônicos, algumas roupas de griffe e alguns cosméticos famosos como parte da linha da Victoria’s Secret, MAC ou Sephora. Os preços aqui são obviamente mais caros que nos EUA mas ainda assim bem mais baratos que se comprados aqui no Brasil uma vez saindo do aeroporto. Se você não quer carregar bebidas na sua mala, esqueceu algum presente, se esgotou a sua cota de U$ 500, seja lá como for, o Free Shop oferece algumas boas opções. Além do seu limite de U$ 500, você ainda tem mais U$ 500 em produtos no Free Shop sem taxação.

Para mais detalhes dos produtos disponíveis em cada aeroporto ou encomendas antecipadas, acesse: 
http://www.dufry.com/

Agora realmente acabou a “compração” e é hora de enfrentar a nossa Alfândega e suas regras:

1. Cada pessoa tem direito de trazer U$ 500 em mercadorias. Este valor não pode ser somado com o de outra pessoa, portanto um casal não pode trazer um notebook de U$ 700 juntando suas cotas. Não entram nesta cota livros e periódicos e produtos de uso pessoal, sem exageros;

2. Quem viaja ao exterior pode trazer um celular, uma máquina fotográfica e um relógio sem entrar na cota. Isto quer dizer, se você quiser trazer uma destas coisas, vá sem o seu. Atenção! Mesmo que você retorne com um único relógio mas na caixa, ele será taxado. Estes produtos liberados devem estar em uso para que sejam considerados de uso pessoal e não mercadoria, o celular inclusive deve estar habilitado;

3. Todo o restante, incluindo notebooks, ipads e afins entra na sua cota;

4. O viajante pode trazer um total de 12 litros de bebidas alcoólicas e 10 maços de cigarros;

5. Mercadorias iguais, as famosas "lembrancinhas", também não devem passar de 20 unidades de U$ 10/cada senão configura intenção de venda e podem ser apreendidas.

Existe um formulário da Alfândega Brasileira, similar ao americano, que deve ser preenchido ainda no avião e que pergunta se você está trazendo mercadorias fora da sua cota. Caso você responda que não, você irá se dirigir com suas malas ao canal verde e correr o risco de ser escolhido. Se você passou vergonhosamente da cota, aconselho a declarar logo, já que quando se declara, paga-se apenas 50% sobre o valor excedente enquanto que se você for pego mentindo pagará 100% sobre o valor excedente.

Enfim, vale dizer que nossos agentes alfandegários são, na sua grande maioria, bem treinados e bem tolerantes. Eles já se acostumaram com brasileiros escondidos atrás das malas! Mas caso ele suspeite de alguma coisa fará você parar, colocar toda sua bagagem no RX e se for o caso abrir as malas para fazer as contas...

6 comentários:

  1. Bom dia Milia,

    Devo andar com o passaporte ou é melhor andar com uma cópia e deixar o original no cofre do hotel?

    Gabriel.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabriel!
      Mil desculpas pelo atraso mas seu post entrou enquanto eu viajava e só o percebi hoje.
      Esta é uma escolha difícil e depende basicamente da confiabilidade do hotel em que você está hospedado. Temos como hábito andar com os nossos e nos hospedamos em um hotel de total confiança há mais de 11 anos! A verdade é que quase nunca precisamos usá-los e geralmente a sua carteira de habilitação é aceita como identificação na maioria dos estabelecimentos.
      No caso de optar por uma cópia tenha em mente que só são aceitas as cópias autenticadas da folha de identificação do seu passaporte.
      Divirta-se!

      Excluir
  2. Patricia MAsera26/10/14 00:09

    Post super hiper mega completo!!! Obrigada e parabéns!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Patrícia!
      Obrigada! Se precisar de alguma coisa é só perguntar!
      Divirta-se!

      Excluir
  3. Fui a Orlando com minha família as dicas foram ótimas..me ajudou muito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada pela gentileza!
      Fico tão feliz em saber que vocês tiveram uma ótima viagem!
      Volte sempre!

      Excluir